Blog Graph A

Informações úteis para que
você se mantenha atualizado

A história do cartão de visita

Todos aqueles que possuem um negócio, sabem o tamanho da importância do famoso cartão de visita. Seja sua empresa grande ou pequena, ter esse item na papelaria corporativa da sua organização faz a diferença na comunicação com os clientes. É a maneira mais prática de criar vínculo e seu cliente saber que quando precisar, já sabe onde ir. 

 

Vamos falar sobre a sua história e contar algumas curiosidades, continue a leitura para saber mais. 

 

Você pode até não acreditar, mas o cartão de visita teve sua origem baseada em campeonatos de cartas! Não está entendendo nada, certo?  

 

Vamos lá: de acordo com alguns estudiosos, os primeiros indícios ocorreram na França, por volta do século XVII e até então, não possuíam a finalidade de representar algo ou alguém, eram usados para firmar um compromisso. Naquela época existiam grandes campeonatos de jogos de cartas, então os cartões firmavam este compromisso entre os competidores. Devido a esse campeonato eram combinadas apostas referentes ao resultado da competição. Para que fosse assegurado que elas seriam realmente pagas, os competidores firmavam suas dívidas em um cartão com assinatura.  

 

E a história dos cartões de visita continua na França, ainda no Século XVII. Começou a ser popularizado entre as pessoas da elite os cartões de saudação, onde a sua função principal era anunciar a chegada de pessoas prósperas à elite ou aristocráticas à sua cidade local ou à sua casa. 

 

O interessante é que os cartões eram moldados e dimensionados com a intenção de lembrar uma carta de baralho e dessa forma, se tornaram um elemento básico da elite em meados do século.  

Neste mesmo século em Londres – Inglaterra  foram criados os primeiros “tradecards” ou então “cartões comerciais”, utilizados como propaganda e mapas devido nesta época ainda não ter um sistema formal de numeração de ruas em Londres.  

 

Conforme os anos passaram, os cartões foram sendo mais divulgados e começaram a ser utilizadas novas formas de personalização, como caracteres dourados e tipografias emocionantes, mais clássicas e requintadas.  

 

No século 19, os cartões se tornaram obrigatórios para qualquer pessoa pertencente aos círculos da classe média do dia-a-dia.  As casas tinham até bandejas de cartões, ornamentadas em construção, feitas para que aqueles que visitassem sua casa deixassem seus cartões.  

 

Com esse histórico e tantas modificações em sua forma de uso, atualmente os cartões de visita ainda preservam algumas regras de personalização. Por exemplo, não devem ser entregues pela mão esquerda, devem sempre ser traduzidos para o idioma do país específico em que estão sendo entregues na parte traseira do cartão. Também nunca devem ser transportados soltos e precisam ser apresentados nas melhores condições. 

Ainda que existam muitas opções de personalização como o tipo de papel para o cartão, o design, formato, cores, tipografia, acabamentos especiais como verniz, relevo etc, os cartões de visita precisam seguir um padrão para conseguirem cativar com mais facilidade o público-alvo. 

 

É necessário que o cartão tenha o nome do titular, em alguns casos o título/cargo, a empresa, a localização da empresa e as informações de contato relevantes, como endereço, e-mail e telefones.

 

Importante: as redes sociais, em especial Facebook e Instagram também devem estar no cartão. A utilização de qrcodes é também uma boa opção, pois além de poder armazenar várias informações, passa uma imagem tecnológica do seu negócio. 

 

 

Curiosidades: 

– Nos EUA os cartões de visita são chamados de cartões comerciais (ou cartões de negócio). Isso se deve pela tratativa mais formal em suas apresentações e também, pela cultura já instaurada na sociedade americana. 

 

– No Brasil a tratativa é “cartão de visitas” pois a forma como se aborda os potenciais clientes é mais próxima, tenta trazer acolhimento. 

 

– No Japão, cartão de visita é algo importante. Devido à formalidade, é sempre entregue antes das reuniões com as duas mãos. Também é um ato ofensivo escrever ou anotar algo no cartão. 

 

Interessante não é? Agora que você sabe da história dos cartões de visita, lembre-se de escolher um bom designer e uma gráfica de confiança para seu projeto. 



Está gostando do conteúdo? Curta! Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Click to access the login or register cheese